junho 29, 2022

Libra

Informações sobre Brazil. Selecione os assuntos que você deseja saber mais sobre no Journaloleme

A NASA ainda está “pressionando” um cosmonauta russo para voar na próxima missão SpaceX

A NASA ainda está "pressionando" um cosmonauta russo para voar na próxima missão SpaceX
Ampliação / Anna Kekina será a quinta mulher russa a ir ao espaço.

Roscosmos

Mais de três meses após a invasão da Ucrânia, fica claro pelas ações da Rússia, Estados Unidos e outros parceiros da Estação Espacial Internacional que desejam manter a instalação operada em conjunto acima das tensões relacionadas à Terra.

Mas uma das maiores questões pendentes é se a maneira como astronautas e astronautas chegam à estação espacial mudará. Antes do início das hostilidades, a NASA e a Rússia planejavam começar “trocas de assentos” neste outono, com a astronauta Anna Kikina, pilotando um SpaceX Crew Dragon pela primeira vez.

Atualmente, Kikina está programado para ser lançado como parte da missão “Crew 5” em setembro, que será liderada pela astronauta da NASA Nicole Mann. Na mesma época, o astronauta da NASA Frank Rubio lançará a missão Soyuz MS-22 liderada por Sergei Prokopyev.

No entanto, um alto funcionário da NASA disse a Ars que ainda não há uma palavra oficial sobre se a troca ocorrerá ou não. A decisão cabe aos diplomatas em Moscou e Washington, DC, e deve ser finalizada nas próximas semanas.

“É prático”, disse Joel Montalbano, gerente do programa ISS baseado em Houston. “A Roskosmos precisa obter a aprovação do Departamento de Estado, após o que eles vão para seu primeiro-ministro. Depois disso, o acordo chega ao Departamento de Estado dos EUA para aprovação.”

Montalbano disse que está animado para ver a troca de assentos, pois deve ajudar a solidificar uma parceria que foi abalada pela invasão da Ucrânia pela Rússia. Ele disse: “Eu pago”. “Acho que é a coisa certa a fazer, só porque aconteceu com compostos semelhantes. Mas temos que ver.”

READ  Uma estrela morta apanhada destruindo violentamente o sistema planetário

O cosmonauta russo Sergei Krikalev foi o primeiro russo a pilotar uma espaçonave americana, no ônibus espacial da NASA em 1994. Um ano depois, o astronauta da NASA Norman Thagard voou para a estação espacial Mir a bordo de uma nave Soyuz. Depois que o ônibus espacial se aposentou em 2011, a NASA teve que confiar na Rússia para o transporte até a estação espacial. Embora tenha cobrado da NASA cerca de US$ 90 milhões por um assento, a Rússia interrompeu seu fim fornecendo transporte confiável. A NASA não precisa mais da Rússia para isso, com a Crew Dragon entrando online como uma espaçonave operacional.

Uma troca de assentos pode ser útil por razões que vão além da diplomacia. Ao transportar astronautas a bordo de veículos russos, a NASA pode garantir que sempre tenha pelo menos um ocidental a bordo para manter seu lado da instalação funcionando durante as entregas de tripulação para tripulação.

No entanto, as tensões na Ucrânia aumentaram as apostas. A Rússia quer a ótica de um de seus cosmonautas voando em um foguete americano? E o Departamento de Estado dos EUA quer ótica semelhante, com astronautas da NASA treinando perto de Moscou e lançando do principal espaçoporto da Rússia no Cazaquistão?

Por enquanto, a resposta parece sólida Posso. Para esse fim, Montalbano disse que o treinamento continua para uma possível troca de assento. Kekina esteve em Houston na semana passada, preparando-se para sua próxima missão. Ela deve retornar em meados de junho, disse ele, para trabalhar em Houston e nas instalações de treinamento da SpaceX em Hawthorne, Califórnia.