outubro 4, 2022

Libra

Informações sobre Brazil. Selecione os assuntos que você deseja saber mais sobre no Journaloleme

Chefe da Otan diz que guerra na Ucrânia é batalha de ‘atrito’, alerta que inverno ‘será difícil’

Chefe da Otan diz que guerra na Ucrânia é batalha de 'atrito', alerta que inverno 'será difícil'

o novoAgora você pode ouvir os artigos da Fox News!

O secretário-geral da Otan, Jens Stoltenberg, prometeu na terça-feira Continuar a apoiar a Ucrânia Na “guerra esmagadora de desgaste” contra a Rússia.

Na véspera do aniversário de seis anos da invasão da Ucrânia pela Rússia em 24 de fevereiro, Stoltenberg participou de um fórum organizado pela Ucrânia com dezenas de outros líderes mundiais.

“O inverno está chegando e será difícil”, disse Stoltenberg aos líderes mundiais. “Esta é uma batalha de vontades e uma batalha de logística.”

O secretário-geral da OTAN, Jens Stoltenberg, faz uma pausa enquanto faz uma declaração à mídia antes de uma reunião no Parlamento Europeu em Bruxelas, em 28 de abril.

O secretário-geral da OTAN, Jens Stoltenberg, faz uma pausa enquanto faz uma declaração à mídia antes de uma reunião no Parlamento Europeu em Bruxelas, em 28 de abril.
(AFP/Oliver Mattis)

EUA alertam que Rússia pode aumentar ataques civis à medida que Dia da Independência da Ucrânia se aproxima

O chefe da Otan disse que a aliança “deve continuar” para apoiar a Ucrânia “no longo prazo” para garantir que Kyiv possa ter sucesso. Repelir as forças russas de seus limites.

Mas com os líderes mundiais se comprometendo a continuar apoiando a Ucrânia tanto militarmente quanto por meio de ajuda humanitária, Kyiv está se certificando de ter apoio internacional para restaurar a soberania total da Ucrânia – incluindo a Crimeia.

“Tudo começou com a Crimeia e terminará com a Crimeia”, Presidente ucraniano Volodymyr Zelensky Aos líderes mundiais, citando um ativista ucraniano preso da Crimeia. “É necessário libertar a Crimeia. Isso será um renascimento da lei e da ordem mundial.”

Ucrânia alerta Rússia sobre sua intenção de voltar ao crime

Zelensky defendeu o apoio de quase 60 países e organizações internacionais na cúpula de terça-feira, incluindo a presença de cerca de 40 presidentes e primeiros-ministros.

Embora o presidente ucraniano tenha elogiado o apoio que Kyiv recebeu desde a invasão russa em fevereiro, ele observou que o fracasso em responsabilizar Moscou por sua invasão de 2014 e subsequente ocupação da Crimeia é o motivo pelo qual a Ucrânia está em guerra hoje.

Zelensky argumentou que a única maneira de garantir a segurança em toda a Europa era impedir que as ambições militares russas fossem bem-sucedidas na Ucrânia.

A Rússia confiou em sua presença na Crimeia como um trampolim para sua conquista para fornecer não apenas apoio logístico nas partes sul e leste do país, mas também objetivos táticos.

Dnipropetrovsk Oblast, Ucrânia - 9 de maio: Infantaria ucraniana treina em 9 de maio de 2022 perto de Dnipropetrovsk Oblast, Ucrânia.  Soldados de infantaria aprendem sobre cenários de sobrevivência quando confrontados com a perspectiva de um tanque russo se aproximando de perto.

Dnipropetrovsk Oblast, Ucrânia – 9 de maio: Infantaria ucraniana treina em 9 de maio de 2022 perto de Dnipropetrovsk Oblast, Ucrânia. Soldados de infantaria aprendem sobre cenários de sobrevivência quando confrontados com a perspectiva de um tanque russo se aproximando de perto.
(Foto de John Moore/Getty Images)

CLIQUE AQUI PARA O APP FOX NEWS

Desde o início da guerra, disse Zelensky, cerca de 750 mísseis de cruzeiro foram disparados da Crimeia contra alvos ucranianos.

“Precisamos vencer a batalha contra a agressão russa e, portanto, precisamos libertar a Crimeia da ocupação. Ela terminará onde começou”, disse Zelensky.