junho 27, 2022

Libra

Informações sobre Brazil. Selecione os assuntos que você deseja saber mais sobre no Journaloleme

Holanda se junta a Alemanha, Áustria e Itália no retorno ao carvão em meio à invasão russa da Ucrânia

Holanda se junta a Alemanha, Áustria e Itália no retorno ao carvão em meio à invasão russa da Ucrânia

Holanda junta-se a outros países países europeus De volta ao carvão em meio a uma crise de energia desencadeada pela invasão da Ucrânia pela Rússia.

Esta semana, a Holanda anunciou restrições Usinas de energia a carvão vai levantar. Anteriormente, os combustíveis fósseis representavam apenas um terço da produção.

ARQUIVO: Navios-tanque químicos atracam perto dos silos e torres da refinaria Royal Dutch Shell Plc Pernis em Roterdã, Holanda, terça-feira, 27 de abril de 2021. (Peter Boyer/Bloomberg via Getty Images/Getty Images)

“O Gabinete decidiu imediatamente retirar as restrições à produção de usinas a carvão de 2002 a 2024”, disse o ministro holandês do Clima e Energia, Rob Getten, a repórteres, acrescentando que a decisão foi tomada em preparação com outros países europeus.

O governo eliminou gradualmente o uso de carvão para geração de energia, permitindo que apenas usinas a carvão operem com um máximo de 35% de sua capacidade nos últimos anos, com o objetivo de fazer a transição para energia sustentável para reduzir as emissões de gases de efeito estufa.

Rússia exporta energia para a China, desbancando Arábia Saudita como maior fornecedora de Pequim

“O risco de não fazer nada é muito alto”, disse Gettin, ao apelar a empresas e proprietários de residências para que façam tudo o que puderem agora para reduzir o uso de gás e evitar a escassez de inverno.

A Europa estava lutando para se livrar de si mesma energia russa No meio da guerra na Ucrânia. Áustria, Alemanha e Itália indicaram que as usinas de energia a carvão poderiam fornecer uma solução de curto prazo, dada a forte dependência da Europa da energia russa.

READ  China relata o maior número diário de novos casos de COVID-19 desde fevereiro de 2020

A Gazprom da Rússia anunciou na semana passada que reduzirá drasticamente a oferta por meio de Nord Stream 1. pipeline Para a Alemanha pelo que ela disse são razões técnicas. O governo alemão diz que o motivo da mudança parece ser político.

CLIQUE AQUI PARA O APLICATIVO FOX BUSINESS

No domingo, o ministro da Economia, Robert Habeck, disse que a Alemanha tentaria compensar a medida permitindo mais queima de carvão, um combustível fóssil mais poluente. Habeck, um membro do Partido Verde, disse que a medida era “amarga”, mas “necessária” para reduzir o uso de gás.

A Associated Press contribuiu para este relatório.