agosto 7, 2022

Libra

Informações sobre Brazil. Selecione os assuntos que você deseja saber mais sobre no Journaloleme

Lavrov se retira das negociações do G-20 após negar que a Rússia está causando crise alimentar | G20

O ministro das Relações Exteriores da Rússia deixou a reunião do G20 das principais economias depois de dizer a seus colegas que a Rússia era uma invasão Ucrânia Não foi responsável por uma crise de fome global e que as sanções destinadas a isolar a Rússia equivaliam a uma declaração de guerra.

A reunião de sexta-feira foi para Sergey Lavrov Primeiro confronto direto Com líderes do Ocidente desde que a Rússia lançou seu ataque à Ucrânia, o Ocidente tem sido acusado de criticar freneticamente o que alegou serem as ações justificadas de Moscou.

Em uma dura, embora breve palestra na reunião de Bali organizada pela Indonésia, o presidente do G20 deste ano, Lavrov disse: “Se o Ocidente não quer negociações, mas quer derrotar a Ucrânia, Rússia No campo de batalha – porque ambas as opiniões foram expressas – provavelmente não há nada para falar com o Ocidente.”

O veterano diplomata russo, sentado entre a Arábia Saudita e o México na reunião, acusou o Ocidente de pressionar a Ucrânia a “usar suas armas” nos combates. Ele saiu quando a ministra alemã das Relações Exteriores, Annallina Barbock, começou a falar.

Barbock disse mais tarde: “A verdade é que [Lavrov] Grande parte das negociações foi gasta não dentro e fora da sala confirmando que não há um único milímetro de vontade de falar do lado russo.” Ela afirmou que o clima na sala era de 19 a 1 contra a invasão russa, mesmo que houve divergências sobre as sanções.

Lavrov afirmou que veio a Bali para ter a impressão de “como o Ocidente respira”. Ficou claro que o Ocidente não usou G20 Lavrov disse para os propósitos para os quais foi criado. Ele alegou que os participantes dos países em desenvolvimento não apoiavam essa abordagem.

READ  Marina Ovsyannikova: jornalista da TV estatal russa diz que é "impossível ficar calado"

“Os agressores, os invasores, os moradores. Ouvimos muitas dessas coisas hoje”, disse ele ao descrever os discursos de seus colegas ocidentais. Ele disse que alguns discursos foram feitos para efeito teatral, citando Boris Johnson como um excelente exemplo. “Bem, ele desistiu, que assim seja”, disse Lavrov. Todos diziam que a Rússia deveria ser isolada. Mas até agora seu partido fez o impeachment de Boris Johnson.”

Grande parte das reuniões e discussões paralelas foram tomadas para persuadir a Rússia a permitir a exportação de Estoques de grãos ucranianos Através de uma rota marítima segura e policiada de forma independente no Mar Negro. Mas as negociações, lideradas em grande parte pela Turquia e pelas Nações Unidas, se arrastam há semanas sem nenhum progresso.

“A Ucrânia deve acabar com o bloqueio de seus portos, remover minas deles ou garantir a passagem pelos campos minados”, disse Lavrov.

Depois disso, disse ele, a Rússia e a Turquia garantirão a segurança dos navios de carga fora do território soberano ucraniano para que possam avançar no Mediterrâneo. Mas uma reunião em Bali entre Lavrov e o ministro das Relações Exteriores da Turquia, Mevlut Cavusoglu, não levou a nenhum avanço imediato.

Lavrov negou que a disputa seja um fator central na escassez global de grãos, dizendo que o grão bloqueado representa 1% da oferta global.

Diplomatas ocidentais dizem que a Rússia vê o roubo de grãos ucranianos e a obstrução de suas exportações como medidas destinadas a enfraquecer a economia ucraniana e aumentar o custo do apoio ocidental ao país em dificuldades. Em sessão plenária, o secretário de Estado norte-americano, Anthony Blinkenexortou Moscou a deixar o grão ucraniano para o mundo.

Um funcionário disse que Blinkin se dirigiu diretamente à Rússia, dizendo: “Aos nossos colegas russos: a Ucrânia não é seu país. O grão dele não é o seu grão. Por que você está bloqueando os portos? Você deveria deixar o grão sair”.

READ  Erdogan diz que não permitirá que países que apoiam terrorismo entrem na Otan

Lavrov disse novamente que a Rússia não pode exportar seus próprios grãos devido a sanções ocidentais, por exemplo, porque os navios não têm seguro ou não podem se comunicar em portos estrangeiros.

O funcionário de relações exteriores da UE, Josep Borrell, respondeu dizendo que as sanções da UE “não proíbem a importação de bens ou fertilizantes russos, nem o reembolso de tais exportações russas”. Ele disse que a Rússia invadiu o celeiro do mundo e transformou as rotas marítimas do Mar Negro em uma zona de guerra.

Os líderes ocidentais se recusaram a participar de uma foto de grupo com Lavrov, mas disseram que sua presença na reunião, em contraste com um boicote completo, mostrou uma maior disposição de argumentar em vez de assumir que outros países neutros estavam presentes com eles.

“Estou aqui como ministro das Relações Exteriores da Alemanha com meus colegas europeus para provar que não vamos deixar o cenário internacional para a Rússia”, disse Barbock, por exemplo, antes da reunião.

Assine a primeira edição, nosso boletim informativo diário gratuito – todas as manhãs da semana às 7h GMT

Lavrov deve ter se referido de perto a uma posição não do Ocidente, mas de outras grandes potências, como China, Arábia Saudita e Índia. Lavrov se encontrou com o ministro das Relações Exteriores chinês, Wang Yi, e falou sobre a “implementação das principais tarefas da operação militar especial” na Ucrânia e repetiu a retórica do Kremlin de que seu objetivo era “desacreditar o país”.

A visita de Lavrov a Bali também visa preparar uma possível viagem de Vladimir Putin à cúpula do G20 em novembro. Não está claro se Putin comparecerá pessoalmente ou via link de vídeo.

A secretária de Relações Exteriores da Grã-Bretanha, Liz Truss, deixou a reunião cedo para voar de volta a Londres para fazer campanha para primeiro-ministro. Ela deixou o funcionário do Ministério das Relações Exteriores, Sir Tim Barrow, para representar o Reino Unido.