julho 4, 2022

Libra

Informações sobre Brazil. Selecione os assuntos que você deseja saber mais sobre no Journaloleme

O diretor do Programa Alimentar Mundial diz que a não abertura de portos na Ucrânia é uma “declaração de guerra” à segurança alimentar global

A farmer wears a bulletproof vest during crop sowing which takes place 30 km from the front line in the Zaporizhzhia Region, southeastern Ukraine, on April 8.
Um agricultor usa um colete à prova de balas ao semear a 30 quilômetros da linha de frente na região de Zaporizhzhya, sudeste da Ucrânia, em 8 de abril (Dmytro Smoliyenko/Ukrinform/Future Publishing/Getty Images)

O diretor-executivo do Programa Mundial de Alimentos disse que a não abertura de portos fechados na Ucrânia para enviar grãos ao exterior deixará milhões à beira da fome.

“A falha em abrir os portos equivaleria a declarar guerra à segurança alimentar global, levando à fome e à desestabilização de nações, bem como à migração em massa por necessidade”, disse David Beasley na quarta-feira, discursando em uma reunião sobre segurança alimentar nas Nações Unidas. pelas Nações Unidas”. Secretário de Estado dos EUA, Anthony Blinken.

Os Estados Unidos estão trabalhando em estreita colaboração com aliados europeus para tentar desenvolver maneiras de tirar o trigo e o milho ucranianos do país depois que a Rússia impediu que navios ucranianos saíssem com grãos. Vital para o abastecimento alimentar em todo o mundo, particularmente na África e no Oriente Médio.

“É absolutamente essencial que permitamos a abertura desses portos porque não se trata apenas da Ucrânia. Trata-se dos mais pobres dos pobres do mundo que estão à beira da fome enquanto falamos”, acrescentou Beasley.

“Por isso, peço ao presidente Putin, se você tiver algum coração, por favor, abra esses portos. Por favor, assegure a todos os envolvidos que as vias estarão livres para que possamos alimentar os mais pobres dos pobres e evitar a fome, como fizemos no passado. , quando os países estavam neste Hall está lutando”, disse o diretor do Programa Mundial de Alimentos.

Ele observou que a Ucrânia é um país que cultiva grãos suficientes para alimentar 400 milhões de pessoas, e sua produção já se esgotou.

Acrescentou que é “muito importante” que estas quintas voltem a trabalhar e que camiões, comboios e navios voltem a circular, sublinhando que “o tempo está a esgotar-se”.

READ  Nenhum sinal de que Putin interrompeu sua 'caminhada para a guerra', diz ex-embaixador dos EUA

Na quarta-feira, o secretário-geral da ONU, Antonio Guterres, também falou sobre como a guerra na Ucrânia, bem como outras crises globais, “ameaçam dezenas de milhões de pessoas com insegurança alimentar, desnutrição, fome em massa e inanição”.

“Há comida suficiente em nosso mundo para todos, mas devemos trabalhar juntos com urgência e solidariedade”, disse Guterres.