maio 23, 2022

Libra

Informações sobre Brazil. Selecione os assuntos que você deseja saber mais sobre no Journaloleme

Ucrânia anuncia novos contra-ataques contra forças russas no sul

A member of the Ukrainian Volunteer Corps fires with a howitzer at a position in the Zaporizhzhia region of Ukraine, on March 28.

Em entrevista no domingo com jornalistas russos, o presidente ucraniano Volodymyr Zelensky falou longamente sobre um ponto importante em possíveis negociações de paz: a possibilidade de neutralidade da Ucrânia.

Estamos prontos para aceitar isso”, disse Zelensky. “Este é o ponto mais importante.”

Zelensky e autoridades ucranianas há muito dizem que estão dispostos a falar sobre a neutralidade da Ucrânia se a Otan não estiver disposta a aceitar o país como membro da aliança.

Isso, em teoria, satisfaria uma das exigências do presidente russo, Vladimir Putin: que a Ucrânia abandonasse suas aspirações da OTAN.

Mas não é tão simples. Zelensky também deixou claro que a Ucrânia rejeitaria a “neutralidade” sem garantias de segurança juridicamente vinculativas. À luz da invasão da Ucrânia pela Rússia, o líder ucraniano disse que não estava interessado em promessas vazias.

“Estou interessado em garantir que não seja apenas mais um pedaço de papel nos moldes do memorando de Budapeste”, disse ele.

Zelensky estava se referindo a um momento pouco lembrado na história pós-Guerra Fria. Com o colapso da União Soviética, a Ucrânia tornou-se – pelo menos no papel – o terceiro maior estoque nuclear do mundo.

A Rússia manteve o controle operacional dessas armas, mas a Ucrânia assinou um acordo em 1994 para abrir mão de armas nucleares em seu território em troca de garantias de segurança, incluindo proteção da integridade territorial e independência política da Ucrânia.. Isso é algo que a Rússia, signatária do Memorando de Budapeste, fez de forma decisiva ao anexar a Crimeia em 2014 e invadir a Ucrânia em fevereiro.

Mykhailo Podolyak, principal conselheiro de Zelensky, disse que as garantias de segurança devem, em essência, incluir um compromisso dos fiadores de ajudar a Ucrânia em caso de agressão.

READ  Papa Francisco adverte o líder da Igreja Ortodoxa Russa, Patriarca Kirill, a não ser 'o coroinha de Putin'

E é importante acrescentar que a neutralidade – do tipo que Putin pode achar palatável – não é algo que Zelensky poderia simplesmente oferecer. A aspiração à adesão à OTAN está consagrada na Constituição da Ucrânia.

Foi aqui que Zelensky deu a seus interlocutores russos algumas lições sobre os processos democráticos na Ucrânia. Ele explicou que as garantias de segurança devem ser seguidas de um referendo na Ucrânia.

“Por quê? Porque temos uma lei sobre referendos”, disse Zelensky. “Nós aprovamos. Mudar esta ou aquela situação… As garantias de segurança pressupõem mudanças constitucionais. Você entende, não é, as mudanças constitucionais? ”

Aqui está a diferença. A Rússia tem um sistema político baseado em um homem – Putin – e Zelensky é o chefe de um país democrático. Mesmo que a neutralidade esteja na mesa de negociações, o povo ucraniano terá sua opinião.