outubro 2, 2022

Libra

Informações sobre Brazil. Selecione os assuntos que você deseja saber mais sobre no Journaloleme

Um oficial de inteligência disse que pelo menos 12 pessoas foram mortas em um cerco a hotel na Somália

Um oficial de inteligência disse que pelo menos 12 pessoas foram mortas em um cerco a hotel na Somália

MOGADÍCIO (Reuters) – Pelo menos 12 pessoas foram mortas na capital somali, Mogadíscio, depois que militantes ligados à Al Qaeda atacaram um hotel e tomaram um cerco que as autoridades ainda lutam para acabar, disse um oficial de inteligência à Reuters neste sábado.

Os atacantes chegaram ao Al-Hayat Hotel na noite de sexta-feira com dois carros-bomba, antes de abrir fogo. Os insurgentes somalis Al-Shabab reivindicaram a responsabilidade pelo ataque. Consulte Mais informação

“Confirmamos até agora que 12 pessoas foram mortas, a maioria civis”, disse Mohammed, um oficial de inteligência que deu um nome, à Reuters. O processo está quase concluído, mas ainda está em andamento.”

Registre-se agora para obter acesso ilimitado e gratuito ao Reuters.com

Explosões enviaram nuvens de fumaça para o movimentado cruzamento na noite de sexta-feira, e tiros ainda explodiram em toda a capital às 07:00 GMT de sábado.

Testemunhas disseram que os sons de explosões permearam a noite enquanto as forças do governo tentavam tomar o controle do hotel dos homens armados.

Eles acrescentaram que os combates destruíram grande parte do hotel.

O ataque de sexta-feira foi o primeiro grande ataque desde que o presidente Hassan Sheikh Mahmud assumiu o cargo em maio.

O Al-Shabab, ligado à Al-Qaeda, reivindicou a responsabilidade pelo ataque, de acordo com uma tradução do SITE Intelligence Group, que monitora os dados do grupo jihadista.

A Al-Shabab luta há mais de 10 anos para derrubar o governo somali. Ele quer basear seu próprio governo em uma interpretação estrita da lei islâmica.

READ  Dois agentes do Serviço Secreto da Coreia do Sul enfrentam disciplina após uma briga embriagada com um motorista de táxi: Fonte

O Hyatt é um local popular entre os legisladores e outros funcionários do governo. Não havia informações imediatas sobre se algum deles foi pego no cerco.

Registre-se agora para obter acesso ilimitado e gratuito ao Reuters.com

(Reportagem de Abdi Sheikh) Escrita por Duncan Merry Edição por Sam Holmes e Frances Kerry

Nossos critérios: Princípios de Confiança da Thomson Reuters.